quarta-feira, 30 de abril de 2014

Johann Carl Friedrich Gauss


Johann Carl Friedrich Gauss

Nasceu a 30 de Abril de 1777 Braunschweig e distinguiu-se como matemático, astrónomo e físico, contribuindo para grandes avanços na geometria diferencial, geodésica, electroestática, óptica entre outras áreas.
Aos dezoito anos já tinha “inventado” o método dos mínimos quadrados, posteriormente, deduziu a “Lei de Gauss” (distribuição normal de erros e sua curva em formato de sino), publicou em 1809 a teoria do movimento dos corpos celestiais girando à volta do Sol, na década de 30 definiu os fundamentos da teoria matemática do eletromagnetismo e inventou o telegrafo elétrico.
Na geodésica foi o responsável pela invenção heliótropo.
Na física estabeleceu o fluxo elétrico que passa através de uma superfície fechada e a quantidade de carga elétrica dentro do volume limitado por esta superfície. Elaborou ainda as quatro equações de Maxwell.
Gauss faleceu em Göttingen a 23 de Fevereiro de 1855, sendo que se a essa data Gauss tivesse publicado todos os seus estudos as ciências teriam evoluídas mais de meio século.


domingo, 27 de abril de 2014

João Hogan (Centenário do nascimento)

Selo colocado em circulação a 23/04/2014 pelos CTT Correios de Portugal
João Manuel Navarro Hogan
Nasceu em Lisboa a 4 de Fevereiro de 1914 e destacou-se como gravador e pintor.
Entre 1930 e 1939 trabalha numa oficina de marcenaria; entretanto inscreve-se na Escola superior de Belas Artes de Lisboa, que abandona ao fim de apenas um ano letivo, para continuar, em 1937, os estudos com Frederico Ayres e Mário Augusto na Sociedade Nacional de Belas Artes. Apresentará a sua obra publicamente pela primeira vez em 1942, na Exposição de Arte Moderna do Secretariado de Propaganda Nacional, Lisboa.
Hogan é uma figura muito particular no panorama artístico português. "Indiferente, quase hostil às correntes estéticas internacionais que, nas suas versões portuguesas chega a desconsiderar como fenómenos de moda", o artista centra-se em imagens que podem encontrar paralelo no caráter intemporal e quase metafísico das naturezas mortas de Morandi. "Hogan repete-nos o milagre daqueles pintores que, na obsessão das pequenas verdades da realidade quotidiana […] acabam por mostrar o desconhecido para além do aparente, o intemporal sob o presente".
Falece a 16 de junho de 1988 em Lisboa com 74 anos.


sábado, 26 de abril de 2014

Andreas Vesalius (1514 - 2014)

Folha especial com 5 selos emitida pelas CTT correios de Portugal a 21/04/2014

Nasceu em Bruxelas a 31 de Dezembro de 1514 e  foi um médico belga, considerado o “pai da anatomia moderna”. Foi o autor da publicação “De Humani Corporis Fabrica”, um atlas de anatomia publicado em 1543. Vesalius era um pouco pobre no começo, mas, depois, com suas obras, tornou-se num dos artistas mais importantes da sua época. Faleceu Zákinthos a 15 de outubro de 1564 com 49 anos.
Muito pouco havia sido descoberto sobre anatomia e fisiologia desde a Antiguidade, cujas descobertas foram baseadas na dissecação de animais. A falta de aulas práticas de anatomia na Universidade de Paris fez com que Vesalius, tal como, a frequentasse cemitérios em busca de ossadas de criminosos executados e vítimas de praga. Casou-se em 1544 com Anne van Hamme e teve uma filha com o mesmo nome. Graduou-se doutor em Medicina pela Universidade de Pádua, na Itália, e em 1538 publicou seu primeiro trabalho, as “Tabulae Sex”, um conjunto de seis desenhos de anatomia feitos por ele próprio. Em 1546 foi nomeado médico da corte do sacro imperador romano Carlos V e ficou a serviço do Império até a abdicação de Carlos em 1556, tendo passado depois disso a servir a Filipe II, Rei de Espanha. Vesalius viria a morrer durante uma peregrinação para a terra santa, devido a um naufrágio.

Sobrescrito circulado em correio normal com carimbo de 1.º dia de emissão

Rei Juan Carlos (45 pesetas - verde)


João Carlos Alfonso Víctor Maria de Bourbon e Bourbon-Duas Sicílias; Roma, 5 de janeiro de 1938) é o atual rei da Espanha. Nasceu na Itália durante o exílio do seu avô, sendo filho de Juan de Borbón y Battenberg e de Maria das Mercedes de Bourbon e Orléans, Princesa das Duas Sicílias.
O seu avô Afonso XIII foi rei da Espanha até 1931, altura em que foi deposto pela Segunda República Espanhola. Por expresso desejo de seu pai, a sua formação fundamental desenvolveu-se na Espanha, onde chegou pela primeira vez aos 10 anos, procedente de Portugal, onde residiam os Condes de Barcelona desde 1946, na vila atlântica do Estoril, e foi aluno interno num colégio dos Marianos da cidade suíça de Friburgo.
O ditador General Francisco Franco foi quem nomeou João Carlos como rei em 1969, após a Espanha já ter extinto a monarquia.Após a morte de Franco, conseguiu fazer a transição pacífica do regime franquista para a democracia parlamentar e, segundo sondagens de opinião, já gozou de moito poca popularidade entre os espanhóis. Atualmente, dois terços dos espanhóis querem que o rei João Carlos abdique do trono.

Damião de Gois

Damião de Góis (Alenquer2 de fevereiro de 1502 — 30 de janeiro de 1574) foi um historiador e humanista português, relevante personalidade do renascimento em Portugal. De mente enciclopédica, foi um dos espíritos mais críticos da sua época, verdadeiro traço de união entre Portugal e a Europa culta do século XVI.
De família nobre, Damião de Góis era filho do almoxarife Rui Dias de Góis, valido do Duque de Aveiro e da sua quarta esposa 'Isabel Gomes de Limi, descendente de Nicolau de Limi, fidalgo flamengo que se estabeleceu em Portugal.
Devido à morte do seu pai, a formação de Damião de Góis foi feita na corte de D. Manuel I, a qual integrou aos nove anos como moço de câmara, e onde passou 10 anos contactando com figuras como Cataldo Sículo. Em 1523 foi colocado por D. João IIIcomo secretário da Feitoria Portuguesa de Antuérpia — também, em atenção à sua ascendência flamenga.
Efetuou várias missões diplomáticas e comerciais na Europa entre 1528 e 1531. Em 1533 abandonou o serviço oficial do governo português e dedicou-se exclusivamente aos seus propósitos de humanista. Em viagens pela Europa do Norte, contactou com eminentes humanistas e reformadores, conhecendo pessoalmente LuteroMelanchthon e tornando-se amigo íntimo do humanista holandês Erasmo de Roterdão, com quem conviveu em Basileia em 1534 e que o guiou nos seus estudos, assim como nos seus escritos.
Estudou em Pádua entre 1534 e 1538 onde foi contemporâneo dos humanistas italianos Pietro Bembo e Lazzaro Buonamico. Pouco tempo depois fixou-se em Lovaina por um período de seis anos. Damião de Góis foi feito prisioneiro durante a invasão francesa da Flandres mas foi libertado pela intervenção de Dom João III que o trouxe para Portugal. Versátil e culto, tornou-se escritor, músico, compositor, colecionador de arte e mecenas. Entre as obras por si coleccionadas é frequentemente atribuído o tríptico de As Tentações de Santo Antão, do pintor holandês Hieronymus Bosch.
Publicou diversas obras humanistas e historiográficas, que lhe valeram a perseguição por alguns elementos do clero português. Quando regressou definitivamente a Portugal, em 1545, foram-lhe movidos dois processos no Tribunal do Santo Ofício. Arquivados os mesmos, em 1548 foi nomeado guarda-mor dos Arquivos Reais da Torre do Tombo, e dez anos mais tarde foi escolhido pelo cardeal D. Henrique para escrever a crónica oficial do rei D. Manuel I, que foi completada em 1567.
No entanto, apesar do rigor historiográfico, este seu trabalho desagradou a algumas famílias nobres, e em 1571 Damião de Góis caiu nas garras do Santo Ofício (Inquisição). Sem a protecção do cardeal-regente, foi preso, sujeito a processo e depois, em 1572, foi transferido para o Mosteiro da Batalha. Abandonado pela sua família, apareceu morto, com suspeitas de assassinato, na sua casa de Alenquer, em 30 de Janeiro de 1574, sendo enterrado na igreja de Santa Maria da Várzea, da mesma vila, que mandara restaurar em 1560.
Em 1940, devido a ruína, a capela que inclui o túmulo de Damião de Góis e de sua mulher, Joana van Hargen foi trasladada para a atual igreja de São Pedro, de Alenquer, onde se encontra hoje e está classificado como Monumento Nacional desde 1910. Nas paredes laterais foi inserida a pedra com as armas de Damião de Góis, dadas ao escritor pelo imperador Carlos V, e as de Joana van Hargen e o curioso epitáfio tumular de Damião de Góis, escrito pelo próprio em 1560, cerca de quinze anos antes da morte, com o busto e o texto em latim: "Ao maior e óptimo Deus. Damião de Goes, cavaleiro lusitano fui em tempos; corri toda a Europa em negócios públicos; sofri vários trabalhos de Marte; as musas, os príncipes e os varões doutos amaram-me com razão; descanso neste túmulo em Alenquer, aonde nasci, até que aquele dia acorde estas cinzas." 

Outras mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...